segunda-feira, 14 de março de 2011

EUA a perder a guerra da informação

Se tivessem a verdade e a razão do vosso lado, isto não acontecia...
Curioso que Hillary Clinton se refira à RT como "muito instrutiva". Será por ser o único canal de televisão onde pessoas como Webster Tarpley e Wayne Madsen podem dar a sua interpretação dos factos, por ser a única estação que se atreve a entrevistar pessoas como Daniel Estulin e que regularmente dá tempo de antena a Alex Jones, por ser o único canal internacional de notícias que assinala a ocorrência de certas reuniões secretas e que vai reportando sobre os esforços do Movimento Pela Verdade Sobre o 11 de Setembro e por ser o único sítio na televisão onde podemos ver uma cobertura decente sobre certas pandemias que vão surgindo?



(Ignorem o que é dito em relação à Al Jazeera. Ela não é nenhuma inimiga dos interesses de quem controla o governo norte-americano e outros. A sua menção, juntamente com a RT, por parte de Hillary Clinton, é obviamente uma maneira de, ao mesmo tempo que se vão buscar argumentos para tentar aumentar a percepção deste "problema", mais uma vez promover esta estação. Eu sei do que falo, pois também já caí na armadilha deste canal de televisão. Mas o facto de os ter apanhado, há uns tempos, a mentir descaradamente sobre a fraude do "aquecimento global", fez-me abrir os olhos para a sua verdadeira natureza.)

1 comentário:

  1. E quem fala nestas pessoas, fala também em William Engdahl, Michel Chossudovsky e outros que, com alguma frequência, vão também aparecendo neste canal.
    Tudo autores, colectivos e temas que, há anos atrás, apenas eram conhecidos e debatidos, essencialmente, dentro do meio activista mas que, através desta estação de televisão, surpreendentemente saltam agora para o pequeno ecrã.
    Algo que, e penso estar a falar também em nome doutros que há anos atrás eram politicamente activos, nunca pensei vir, na minha vida, ver a acontecer.
    Este canal é demais...

    ResponderEliminar

Nota: só um membro deste blogue pode publicar um comentário.