segunda-feira, 29 de julho de 2013

Há 75 anos atrás, no vizinho Estado Espanhol...

(Um filme, que também só vi já depois de me ter "reformado" do activismo anarquista e que penso que possa ser interessante para algumas das pessoas que consultam este blogue - e que deixo aqui como sugestão para as férias em que sei que muitos estarão. A visualização do mesmo, talvez seja melhor que seja feita na sua versão original, em inglês. Embora o castelhano seja algo que a muitos possa despertar mais sentimentos.) ;)

sábado, 20 de julho de 2013

Algumas considerações sobre o actual sistema de ensino

(Chegadas as férias escolares para muitos, aqui fica, talvez, um estímulo, para uma muito importante reflexão a ser feita - quer por educandos, quer por educadores - do que se faz a crianças e a jovens em todo o Mundo...)

Deixo aqui <esta> introdução e também <esta> (nas quais se incluem várias hiperligações que poderão explorar) seguidas de um discurso - muito agradável de se ouvir - da parte de quem é capaz de entender - ou de (tal como o autor deste blogue, há uns bons anos atrás, demonstrava no que escrevia) se aperceber - enquanto vítima do mesmo, do processo de estupidificação e domesticação de que é alvo - para ver se, com isto, algumas luzes se acendem nas cabeças dos mais críticos e atentos à realidade à sua volta...

quarta-feira, 10 de julho de 2013

segunda-feira, 8 de julho de 2013

Extraordinária capacidade de memória

Uma notícia antiga, do início do século passado - que encontrei, ao procurar pelo (familiar) termo "portuguese anarchist" (com aspas) no motor de busca da Google - que foi publicada num jornal do nordeste dos EUA, a propósito do que tinha sido o recente regicídio em Portugal.




(Suponho que os leitores deste jornal deviam ser pessoas mesmo muito estúpidas...)

quarta-feira, 3 de julho de 2013

"Já cá canta..."



Fui buscá-lo ontem - depois de vários anos de interesse, mas de só agora ter o dinheiro para tal - à delegação local da empresa responsável pelo envio, após tê-lo comprado, via Internet, numa loja de livros antigos em Madrid, por menos de 10 euros (excluindo os portes de envio).
É de uma das primeiras edições, dos anos 50.
E, como penso que deve ser, para qualquer livro volumoso e importante que se preze, escolhi este, em particular, por ter uma capa dura e resistente - e também vermelha, a condizer. ;)
Está em muito bom estado de conservação, para a idade, e não tem qualquer defeito a assinalar.
Quem quiser lê-lo, em formato PDF, pode procurá-lo nesta hiperligação.
E, quem não souber, e quiser saber, que livro é este, pode ler a seguinte introdução - [1] [2] - feita por um autor que, ainda que não sendo um que me agrade (muito), fez uma boa sinopse do que se trata - e pode também, se quiser, descarregar o ficheiro, disponibilizado por tal autor, que contém a parte que mais interessa (traduzida para inglês).