quarta-feira, 24 de outubro de 2012

É esse o objectivo, Sr. Félix...

Há alguns dias atrás, veio o ex-Ministro de um governo do Bloco Central (e confesso votador neste governo), Bagão Félix, dizer na televisão que os repetidos Orçamentos de Estado, ditas medidas de "austeridade" e políticas levadas a cabo por este governo são contraproducentes e que têm, e irão continuar a ter, um efeito destruidor na Economia.
Notoriamente constrangido e decepcionado com as consecutivas medidas tomadas pela classe política que actualmente ocupa o governo que, em vez de melhorar, só pioram as coisas, fez este ex-Ministro dois importantes pontos, no decorrer de uma entrevista na SIC.
(Pontos esses, aos quais irá ser acrescentada uma breve explicação, por parte de quem, pelos vistos, está melhor informado sobre o que se passa nos bastidores da política - que, diga-se de passagem, tem este ex-Ministro a obrigação de conhecer melhor do que um mero cidadão com acesso à Internet e a sítios de qualidade nesta, sobre o mencionado assunto.)

Dizia então este ex-Ministro (que, ao que tudo indica, parece ser bem intencionado) que, ao aumentar, de modo brutal, os impostos, está-se, consequentemente, a diminuir a receita gerada pelos mesmos, e também que, ao taxar mais quem mais trabalha, se está a desincentivar o esforço no trabalho e o investimento na formação, no que foi, para mim, uma demonstração de grande ingenuidade, de quem não é capaz de perceber que o objectivo deste governo é mesmo esse - o de puxar a sociedade para baixo e destruir a mesma.
E, sendo assim, passo então, brevemente, a explicar...
  • O que você diz sobre os impostos, Sr. Félix, é (tal como você próprio admite na entrevista) o que toda a gente que percebe minimamente de Economia também sabe. Aumentando os impostos acima de um certo valor, o que se está a fazer, é a retrair o consumo e (diminuindo a actividade económica) a diminuir as receitas geradas por esses mesmos impostos. (Veja-se, por exemplo, uma das coisas que o Presidente John F. Kennedy fez antes de ser morto, em que até - e inversamente - ao diminuir os impostos, aumentou o poder de compra de todos e causou um maior desenvolvimento da sua Economia, aumentando, consequentemente, a quantidade de receitas por estes mesmos impostos arrecadada...) Isto é, aliás, mero senso comum... E não é preciso nenhum curso de Economia para percebê-lo... Se está tudo muito mais caro, começam as pessoas, obviamente, a pensar duas vezes antes de comprar algo e, consequentemente, a racionar - e a ser mais cuidadosas com - as suas despesas. Ainda mais, em casos extremos como este (e que só podem é mesmo ter como resultado um afundamento dessa mesma Economia) em que, ao mesmo tempo, as pessoas recebem cada vez menos, devido aos crescentes aumentos de impostos sobre o produto do seu trabalho, agravando-se assim, ainda mais, a perda do seu poder de compra.
  • Sobre fazer quem mais trabalha pagar mais impostos, basta também recorrer ao mero senso comum. (Fazendo, aliás, o raciocínio que o governo quer que todos também façam...) Pois a maior parte das pessoas não é assim tão estúpida. E, se por trabalharem e estudarem muito mais, vão receber apenas mais um pouco, perdem as pessoas a maior parte do incentivo que possam ter para que se esforcem mais que os outros.
Pensa então o Sr. ex-Ministro que isto são apenas más decisões por parte de quem governa. Que quem ocupa actualmente o governo é estúpido e incompetente. E pensa também você, aparentemente, que tudo isto se trata de uma mera "crise" económica...
Desengane-se, Sr. Félix. Pois, não se trata de uma mera "crise" ou "recessão" económica, causada por factores aleatórios. Mas sim, ao que tudo indica, de um Colapso generalizado da civilização em si, tal como a conhecemos, causado pelo modelo económico de que você é adepto.
Ao contrário de quem neles vota, os nossos governantes não são estúpidos. E, se as medidas que estes tomam estão a ter os efeitos destruidores na Economia que estão, é exactamente com esse objectivo que estão a ser tomadas...
Informe-se sobre o que andam os seus amigos - e amigos deles - a debater e a fazer - em certas reuniões - e depois venha então, mais bem informado, falar para a televisão...

terça-feira, 16 de outubro de 2012

Quantos terão reparado?

(Algo que apanhei, mesmo só por acaso, por estar, na sala onde estava a fazer algo num computador, a televisão ligada e por estar eu, num momento "morto", a olhar para esta, que estava ligada neste canal. Dado o quão pouco ainda vejo do que passa na televisão nacional, faz-me interrogar sobre que mais coisas deste tipo é que me andarão então a escapar...)

A fotografia que se segue, foi tirada de um momento, em particular, que ocorre, a dada altura, numa peça teatral que fez parte da gala de celebração, que ocorreu este último fim-de-semana, dos 20 anos da estação de televisão SIC. Esse expoente máximo de cultura e excelência de informação, em Portugal, propriedade do membro permanente do Clube Bilderberg, Francisco Pinto Balsemão.


Para que possam enquadrar a mesma, espreitem aqui o vídeo correspondente à peça em causa - que é o 20º da lista, com o título "Eu durmo com quem eu quero e faço o que me apetece!".
Reparem no carácter único religioso desta peça, em particular, e no conteúdo da mesma, que consiste numa apologia clara do abandono dos princípios e valores que caracterizam a religião em causa que é retratada. Tenham em conta tudo isso, e depois lembrem-se de qual é um dos principais objectivos de uma das sociedades secretas que tem membros em comum com o Clube Bilderberg e lembrem-se também de quem é que está por trás do fenómeno da música moderna, com este e outro tipo de letras, que convida à degeneração, a todos os níveis.
Tenham também em conta o muito importante facto de que esta é uma peça que terá sido ensaiada n vezes e que foi claramente pensada, reflectida, planeada e aperfeiçoada, durante um longo período de tempo. Ou, por outras palavras, que esta é uma representação na qual nada - incluindo a gesticulação usada - terá sido deixado ao acaso.
E depois reparem também, e bem, na firmeza do gesto em causa, que nunca é desmanchado neste momento. Firmeza essa, que indicia se tratar de um gesto muito consciente.
(A mim, é que ninguém convence que tenha sido, tal como em outros casos, um mero gesto improvisado e irreflectido...)

E, já que estamos a falar neste gesto e no nosso país... Olhem aí o líder da versão portuguesa da WikiLeaks - o "TugaLeaks" - a cumprimentar-vos a todos...

domingo, 14 de outubro de 2012

terça-feira, 9 de outubro de 2012

Sempre a manipular...

Se há casos bem claros em que a imprensa ocidental manipula a informação, um bom exemplo disso é a cobertura que é feita dos acontecimentos na Venezuela. Cobertura essa, que chega a ser nojenta, de tão grande que é essa mesma manipulação...
Derrotado o fantoche ocidental Capriles que se opunha a Chávez, não se conforma a nossa imprensa portuguesa e ocidental com o facto de ter sido derrotado - mais uma vez, e dentro do intervalo de maioria absoluta, de cinquentas/sessenta-e-poucos por cento, com que este tem ganho outras eleições - mais um agente dos grandes interesses oligarcas locais e capitalistas internacionais, que seguem os ditames da "Nova Ordem Mundial" que começa a destruir a Europa e a América do Norte.
Sim, Chávez ganhou, reconhecem... "Mas"... "Apesar de"... "Mas olhem que a margem não foi grande"... Enfim. Têm sempre de tentar dar a volta, apontando também apenas sempre os defeitos, e nunca as qualidades, da sua governação, de modo a deixá-lo mal visto e a que este não sirva de exemplo para ninguém.
Que a Venezuela tem sérios problemas sociais é um facto de que toda a gente sabe. E exactamente por isso é que a sua população vota em quem tem genuinamente feito um notável esforço de resolução dos mesmos, com resultados claros, inequívocos e bem visíveis. Pois tem esta mesma população a consciência de que esses problemas são claramente as consequências de uma longa série de décadas de governações que consciente e propositadamente impediram o seu país de se desenvolver social, economica e culturalmente e que mantiveram a maioria da população na pobreza e na ignorância. População essa, que agora se ergue, num processo que terá, inevitavelmente, altos e baixos e cuja resolução de problemas - muitos que vêm de longa data e alguns novos que inevitavelmente vão surgindo no processo de resolução dos antigos - não pode ser feita de um dia para o outro.
Mas manipulem, média ocidentais. Que os venezuelanos não são estúpidos, estão muito melhor informados do que a vossa audiência e têm coisas melhores que fazer do que vos ver. Querendo ser governados por quem genuinamente quer um futuro melhor para o seu país, manda os grandes interesses imperialistas ocidentais ao devido sítio e diz as verdades que poucos ou nenhuns governantes são capazes de dizer.
Manipulem à vontade, que há pelo menos um ocidental que tem cada vez menos paciência para vos ver e que ainda vai tendo a oportunidade de ultrapassar e ignorar a vossa manipulação, podendo ver directamente o que realmente se passa neste país.







domingo, 7 de outubro de 2012

quinta-feira, 4 de outubro de 2012

Botas e perdigotas

No seguimento de relatos de fenómenos estranhos, ocorridos em subsidiárias da Google/NSA/CIA...
A imagem que se segue é de apenas um caso em que reparei, de algo para o qual pessoas que vêm vídeos "incómodos" no YouTube andam, há vários anos, a chamar a atenção para.
(Reparem na discrepância entre o número de observações e o de aprovações/desaprovações e comentários...)


Mas os exemplos mais flagrantes, que vi neste sítio de partilha, foram dois vídeos para os quais chamei a atenção das pessoas e que quando lá voltei, algum tempo depois, tinham menos visitas registadas do que anteriormente. Tendo um deles sido este, para o qual chamei a atenção neste blogue, que originalmente tinha algumas centenas ou uns poucos milhares (já não me lembro, e não reparei na altura, bem) de visionamentos e que, poucos dias depois de ter colocado aqui a hiperligação para ele, quando lá voltei, tinha apenas umas poucas dezenas e um comentário depreciativo, e este, que tinha mais de meio milhão de visionamentos e que, com a informação explosiva que contém, 4 anos depois de ter sido carregado, querem-nos fazer crer que teve, até agora, pouco mais de uma centena de visualizações...